Você sabe qual a diferença entre remarketing e lookalike? - Anuncie com a FolhaPE ADS - Blog e Serviços
Blog

Você sabe qual a diferença entre remarketing e lookalike?

novembro 8, 2018
Tempo de leitura 6 min

Sua marca já está presente na internet, por meio de ações de marketing digital, mas os resultados não são os esperados? Além de rever sua estratégia, pode ser que você esteja precisando investir em remarketing e lookalike.

Isso porque estratégias de marketing na Web baseadas nessas duas formas de segmentar anúncios em campanhas online são muito mais precisas. Ficou interessado? Prossiga na leitura e veja o que elas podem fazer para melhorar sua performance comercial.

Qual a diferença entre remarketing e lookalike?

Remarketing e lookalike são duas formas diferentes de se alcançar audiência qualificada em anúncios na internet. Embora seus princípios sejam similares — chegar a pessoas já impactadas — a primeira usa o Google Adwords, e a segunda, o Facebook Ads.

Na verdade, o termo remarketing, como é empregado hoje, surgiu com a ferramenta de criação e gestão de anúncios do Google. Isso porque, com as métricas digitais, tornou-se possível conhecer a fundo cada uma das pessoas impactadas pelas campanhas.

Conhecendo de onde vem os acessos e mapeando o comportamento dessas pessoas, ficou fácil chegar a até elas novamente. Afinal, suas atividades já deram pistas sobre o que elas querem comprar, suas dúvidas, do que gostam e do que não gostam.

Assim sendo, sempre que sua marca chega a um público que já visitou seu site ou interagiram com seus Ads, estará fazendo uso de remarketing.

O lookalike, por sua vez, segue o mesmo princípio do remarketing, ou seja, também serve para impactar repetidas vezes pessoas que já demonstraram interesse em uma compra.

A diferença fica por conta da maneira como o público é identificado e segmentado. Enquanto no remarketing você precisará fazer algumas configurações na plataforma Google Adwords, no Facebook é necessário dizer exatamente quem serão seus alvos de remarketing.

Resumidamente, é como se no Google o público já fosse automaticamente selecionado, bastando apenas apontar na plataforma de criação de anúncios quem você deseja impactar novamente.

No Facebook, esse público pré-selecionado não existe ainda — pelo menos não na opção lookalike. Será preciso enviar pelo gerenciador de anúncios um arquivo formatado, em que são aceitas as extensões .TXT, .CSV ou listas da ferramenta de disparo de e-mail MailChimp.

Quais as principais vantagens?

Números expressivos não faltariam para ilustrar o quanto são efetivas campanhas que utilizam remarketing e lookalike para chegar às pessoas certas. Leve em consideração as estatísticas, afinal, contra fatos não há argumentos, certo? Igualmente importante é considerar que, em geral, as marcas que investem nessas modalidades percebem as seguintes vantagens.

Frequência de anúncios

Conforme você acabou de ver, campanhas que segmentam público com audiência lookalike são muito certeiras. Como os seus anúncios serão exibidos para pessoas que já demonstraram interesse no que sua empresa vende, uma quantidade menor de impressões será exigida.

Isso significa que as campanhas gerarão retorno mais rápido, já que serão necessárias menos exibições de anúncios, independentemente do seu objetivo. Afinal, é melhor exibir um anúncio para 50 mil e vender para 50, ou exibir para 10 mil e vender para 100?

Alcançar o público novamente

Imagine que sua empresa tentasse chegar a pessoas que já demonstraram interesse em sua marca fora da internet. Você teria as seguintes opções:

  • distribuir folders promocionais nos mesmos lugares e horários;
  • anunciar na TV, nos mesmos horários e canais;
  • anunciar em mídia impressa, em veículos pré-determinados;
  • investir em outdoor ou busdoor, em locais e linhas estratégicas.

Evidentemente, todas as alternativas acima não oferecem, nem de longe, as possibilidades que você só encontra no remarketing.

Seleção de sites específicos

Com remarketing e lookalike, os sites da rede de display com melhores resultados serão mais utilizados. Como o princípio é exibir seus anúncios para pessoas que já interagiram de alguma forma com eles, isso também significa que os locais serão os mesmos.

É algo parecido com as campanhas que utilizam a segmentação por Data Management Platform (DMP). Trata-se de um conjunto de ferramentas que coletam e organizam dados das pessoas, o que viabiliza a criação de campanhas muito mais relevantes. Assim, seu público recebe o conteúdo pelo qual se interessa e junto a ele são exibidos anúncios que “casam” com os temas abordados em seu site ou blog.

Atração de clientes

Certamente você já deve ter visto, nos sites que visita, um aviso sobreposto à página, no qual pode ser lido um alerta sobre o uso de cookies.

Pois são exatamente esses cookies que viabilizam o remarketing. Sem eles, não seria possível rastrear os dados demográficos dos usuários, com base em seus cadastros no próprio Google. Também não daria para saber em que sites eles navegaram, ou seja, suas preferências não poderiam ser identificadas.

É essa a “mágica” que permite ao Google e Facebook saberem quem são as pessoas que estão a ponto de se tornarem seus próximos clientes. Deixar de aproveitar uma oportunidade como essa seria um tremendo desperdício, não?

Para que tipo de negócio é indicado?

O potencial de geração de negócios das campanhas segmentadas por ambos os formatos é incrível. De qualquer forma, é importante que você não abra mão de um planejamento que contemple esse formato, levando em conta as métricas a seguir.

Life Time Value (LTV)

O LTV mede quanto um cliente gasta ao longo de sua permanência como consumidor. Caso  você esteja à frente de um negócio em que o consumo é recorrente, foco em remarketing!

Custo por Aquisição de Cliente (CAC)

Se você aplicar a fórmula abaixo e o valor apresentado for muito alto, então você tem mais um ótimo motivo para impactar pessoas alcançadas por seus anúncios anteriormente:

CAC = (Valor investido em Marketing + Valor investido em Vendas) / Quantidade de Novos Clientes

Ciclo de Venda

Há negócios em que o tempo de maturação do cliente é mais demorado, em função do maior envolvimento no processo de compra. É o caso de cursos e serviços prestados ao longo do tempo.

Nesses casos, sua empresa precisará chegar às pessoas interessadas muitas vezes, até que finalmente decidam pela contratação. Use remarketing e lookalike como ferramentas para educar seus leads até que eles virem clientes. Varie nas campanhas, e é certo que os resultados aparecerão, e em uma base consistente.

Assine nossa newsletter para ficar sempre bem informado de tudo que acontece no mundo do marketing digital e aprenda as melhores práticas melhorar o desempenho nos negócios!

Você também pode gostar

Scroll Up