Micromomentos: como usar a tendência do Google em estratégia de mídia online? - Anuncie com a FolhaPE ADS - Blog e Serviços
Blog

Micromomentos: como usar a tendência do Google em estratégia de mídia online?

março 15, 2019
Micromomentos: como usar a tendência do Google em estratégia de mídia online?
Tempo de leitura 6 min

Micromomentos é um novo conceito que vem ganhando força em ações de marketing digital. Criado pelos líderes do Google, trata-se de uma abordagem em que as intenções de buscas das pessoas são categorizadas em 4 tipos de questões básicas:

  • eu quero ir;
  • eu quero saber;
  • eu quero comprar;
  • eu quero fazer.

Entender esta nova perspectiva é fundamental, considerando que o comportamento do consumidor é cada vez mais sensível à qualidade do que encontra em suas pesquisas. Também conhecido como cliente omnichannel, ele tem como característica ser bastante exigente e, portanto, mais difícil de ser fidelizado.

Continue lendo para saber como aplicar esta nova concepção em suas estratégias de marketing pela Web.

Aproveitando novos recursos e abordagens

Provavelmente você já deve saber que um site só ganha posições na busca do Google quando está configurado corretamente para atender aos padrões de navegabilidade. Isso implica arquitetar uma página com palavras-chave relevantes e com um sitemap bem estruturado e responsivo.

Nesse aspecto, sites com responsividade são aqueles que estão otimizados para abertura rápida em dispositivos móveis. Para aferir isso, o maior motor de busca de mundo tem uma ferramenta de testes online.

Perceba que, em micromomentos como “eu quero ir”, a busca remete a uma clara intenção de chegar em um lugar específico. É o que fazem, por exemplo, pessoas que estão procurando por estabelecimentos próximos para comer, passear ou fazer compras.

Fique atento, pois a importância do mobile tende a aumentar cada vez mais e sem um site otimizado para celulares, aumentam as chances de ser preterido nesse tipo de busca.

Veja, ainda, que a coisa é tão séria que existe até um projeto liderado pelo Google, o AMP Project. Seu objetivo é desenvolver tecnologias para melhorar a navegação em smartphones e tornar o motor de busca ainda mais eficiente.

Repensando a relação consumidor e marca

Enquanto o micromomento “eu quero ir” remete a uma intenção de busca mais próxima do consumo, o “eu quero saber” pede um tratamento um pouco diferente.

Isso porque quando uma pessoa diz para o Google que está em busca de informação, sinaliza que não pretende fazer uma compra, pelo menos não imediatamente. Assim, uma página otimizada para esse tipo de pesquisa deve necessariamente informar.

No funil de conversão, é o caso clássico de leads — potenciais clientes — que estão no topo, ou seja, ainda não têm a decisão de comprar amadurecida o bastante. Isso não significa, por outro lado, que essas pessoas devam ser deixadas de lado, muito pelo contrário.

É na fase da busca por informação que as pessoas tendem a ser mais receptivas, o que representa uma boa oportunidade para “fisgá-las”. Considere que o consumidor moderno e movido a micromomentos quer respostas rápidas. Logo, se seu site tem informação relevante e que desperte seu interesse, terá chances maiores de converter.

Esta nova abordagem provoca, necessariamente, uma mudança profunda na relação entre marcas e consumidores. Como estão mais empoderados, eles tendem a ser muito mais vigilantes e criteriosos em suas buscas.

Sites que não abrem com a velocidade desejada, com pouca informação ou que não ofereçam soluções, nesse sentido, são rapidamente descartados. Do lado das empresas, o “sarrafo” tende a subir, o que para os consumidores equivale a um mercado mais atento às suas demandas.

Elaborando novas maneiras de fazer mídia online

Considere, agora, a pesquisa do Google que diz que 79% dos usuários de smartphones querem respostas imediatas quando usam seus dispositivos para buscas na Web. Esse é um dado extremamente importante, pois deixa uma mensagem clara: quem não estiver preparado para responder aqui e agora será deixado de lado.

E em micromomentos como “eu quero fazer” essa resposta imediata deve ser muito bem construída. É o tipo de busca que as pessoas fazem quando querem aprender algo, e isso favorece um formato ainda não muito explorado no Brasil, o vídeo marketing.

Talvez você já tenha assistido no Youtube algum tutorial ou guia ensinando a fazer coisas como tirar mofo dos azulejos, lavar a parte de baixo do carro ou como fazer um bebê parar de chorar. O que uma parcela considerável de empresas não se dá conta é que, nessa demanda por vídeos didáticos, estão oportunidades de negócios em potencial.

E não apenas nos vídeos o imediatismo do consumidor moderno é respondido quando busca por conhecimento. O podcast, por exemplo, é um ótimo formato para divulgar informação — e a sua marca. Considerando o público que está dirigindo ou não pode desviar sua atenção para ler ou assistir vídeos, áudios se mostram efetivos para responder dúvidas.

Outro formato que pode e deve entrar nas suas ações é o conteúdo patrocinado. Com publicações desse tipo, você conquista credibilidade mais rápido, ao responder as dúvidas das pessoas com o apoio de portais de renome como a Folha PE.

Utilizando essa tendência em suas estratégias

Conhecendo três dos momentos mais decisivos quando se trata de otimizar um site para busca, fica mais simples de responder ao quarto e mais relevante, o “eu quero comprar”.

Esse é o ponto em que o cliente já tem a informação de que precisa, ou seja, está pronto para concluir a jornada do consumidor.

Nessa hora, suas estratégias não podem falhar, certo? Por isso, você deverá utilizar a sede por respostas imediatas como referência antes de colocar em práticas suas ações de marketing digital.

Um bom começo é fazer uma leitura analítica do que mostra a ferramenta Search Console. Nela, aparecem as palavras-chave que estão levando pessoas a encontrarem seu site. Procure entender, em cada uma delas, que tipo de intenção as move. Uma busca por “sapato social para casamento” é diferente de “sapato social marca X no centro do Rio”. Leve isso em conta e construa conteúdo adequado para atender a demandas específicas.

Outra ferramenta útil, nesse aspecto, é o Google Trends, que exibe graficamente a variação na quantidade de buscas para uma determinada palavra-chave. Em negócios sujeitos a sazonalidades, trata-se de um recurso quase obrigatório na elaboração de conteúdo e anúncios estratégicos.

Você leu neste artigo sobre os micromomentos, o que significam e como aplicá-los em suas ações de marketing, tanto de conteúdo quanto pago. Utilize-os com critério, sempre precedendo suas ações com um planejamento o mais minucioso possível.

Gostou do nosso conteúdo? Você acha que poderia complementar nosso post com sua opinião? Então deixe um comentário!

 

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário

Scroll Up